sexta-feira, 15 de junho de 2018

Pintura - Série "Central Park"

Das cores abstraio a seiva que irriga minha alma. Do movimento,  a energia e a força. Do caminho sinuoso, um profundo silêncio. 
Este vivenciar torna minha vida digna de serenidade.
Técnica: Óleo s/Tela, 30cm x 120cm, de Milton Schaefer, Picada Café/RS.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

terça-feira, 29 de maio de 2018

Pintura - Série Gêmeos

Tenho a esperança, sempre, de que há corações e mentes que fogem a trivialidade cotidiana. Elevo meu ser ao espetáculo da existência. Não herdarei tristes histórias, mas sim a vida no seu esplendor. Partirei com a graça de perceber instantes finitos e calorosos, graciosos na essência e infinitos na lembrança.
Técnica: Acrílica s/Tela, 2018, de Tina Felice, Porto Alegre/RS.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Pintura - Inquietação

De quem são os verdadeiros espíritos? Do corpo, da alma ou da mente? Farei desta inquietação meu louvor ao eterno silêncio.
Técnica: Técnica Mista, 2018, de Zupo, Porto Alegre/RS.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Serigrafia - Investigações Antropológicas

Na esteira de estudos dos ancestrais, Zupo faz estudos de desenhos e possíveis identidades da origem do ser humano.
Técnica: Serigrafia, 2018, de Zupo, Porto Alegre/RS.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Pintura - Criação

Das trevas surge a luz. Da luz emana a vida. Da vida emerge o ardor da criação.
Técnica: Acrílica s/Tela, 2018, de Tina Felice, Porto Alegre/RS.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Painting - Still Life

Retorno ávido pelo desejo de sentir a arte do coração e da vida dos artistas. Presenciar a alma dos  inocentes. Respirar as cores que transcendem a racionalidade. Sinto uma existência levemente fugaz.
Técnica: Acrílica s/Tela, 2018, de Eloísa Bucker, Porto Alegre/RS.

segunda-feira, 26 de março de 2018

quarta-feira, 21 de março de 2018

Fotografia - Na Rua

Sigo a poesia da vida naturalmente. Vejo que nas ruas há uma imensidão de desejos. São ternos, às vezes, vagos. Expressivos na sua forma. É a vida que circula entre a arte e a poesia. Na rua, tudo é possível.