segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Pintura - Homenagem a Meu Pai

Iluminar a gênese da vida é um tributo à liturgia da existência. Esta liturgia é a beleza que nos  encanta. Mas, há uma fragilidade que também nos cerca. A finitude do existir. Incompreensível a gênese e a finitude, o que não descaracteriza a sensação harmoniosa da criação e da vida. Aliás, creio que por ser ininteligível a gênese é que se produz arte, suavizando, assim, nossas inquietações antropológicas.
Técnica: Óleo s/Tela, de Flávio Scholles, coleção partícula, Morro Reuter/RS.

Pintura - Amigos

Reinam no mesmo mundo espíritos que se compreendem. Interagem com a energia que transita entre os seres vivos. Que possamos sempre amar o próximo enquanto houver uma gota de lágrima que irriga a poesia da vida.
Técnica: Óleo s/Tela, de Flávio Scholles, coleção particular, Morro Reuter/RS.

sábado, 10 de novembro de 2018

Fotografia - Imensidão

Deixo minha paz e esperança avançarem. Que tragam a vida com sua magia e derrubem o poço da solidão. Olhai as aves na sua imensidão.
Fotografia: De minha autoria.